Páginas

sábado, 23 de fevereiro de 2013

Capítulo 129 - "Uma coisa mudou. Tu!"



Capítulo 129 - "Uma coisa mudou. Tu!" já postado. Desde já um grande obrigada a todas as que comentaram!! Às vezes penso que desistiram da fic e é fantástico ver que não! Muchas muchas gracias!!








Besazo



Ana Santos

quinta-feira, 21 de fevereiro de 2013

129 - "Uma coisa mudou. Tu!"



(Adriana)


- Eu quero esta mulher fora da minha casa e longe do meu filho, aliás da minha família!

- Adriana, estás a ser indelicada! – gritou-me o Alexis.

- Indelicada?! Pois até fui eu que te roubei e tudo!

- Adriana, basta! As coisas mudaram e não quero que fales assim da Blanca.

- Realmente tens razão. Uma coisa mudou. Tu!

- Adriana… Não digas parvoíces. Vamos acalmar-nos! Trouxe a Blanca porque ela faz anos e pensei que podíamos festejar a data com ela.

- Festejar?! Por mim, podem festejar à vontade mas fora da minha casa e longe do meu filho! – exigi.

- Estás a ser infantil!

- Tu estás a ser estúpido!

O choro assustado do Thiago fez-nos cessar aquela discussão.

- Se calhar é mesmo melhor irmos festejar noutro lugar. Depois falamos – disse, beijando o Thiago na testa e saindo com a Blanca.

Deixei-me cair sobre o sofá, tentando a todo o custo conter as lágrimas. Foquei-me no Thiago. Acalmei-o e adormeci-o para depois tomar uma decisão. Não o coloquei no berço, mas na babycoque. Tínhamos algo a fazer.
Peguei no telemóvel e respirei fundo para não perder a coragem.

- Adriana?

- Boa noite, Sharen. Espero não estar a incomodá-la.

- Claro que não, querida. Precisas de alguma coisa? Alguma dúvida sobre o contrato que te propus?

- Não, não tenho nenhuma dúvida. Tenho a sua resposta.

- Já tomaste uma decisão? – ela pareceu surpreendida.

- Sim, já.

- Tão rápido? Parecias bastante insegura.

- Sim, mas…mas já tomei a decisão. E tenho a certeza que é a certa.

- Bem, se estás tão segura de ti, então podemos encontrar-nos no mesmo sítio desta manhã daqui a uma hora?

- Sim, por mim está perfeito!

- Então até já!

- Até já, Sharen.

Desliguei e fui preparar-me. Desta vez optei por um vestido preto. Um pouco arrojado e jovem mas muito elegante. Festivo até. Era disso que precisava. Afinal…o que iria fazer era bom, era motivo de festa, motivo de sorrisos…




Pus a babycoque no carro. Provavelmente o Thiago só tornaria a acordar perto das três da madrugada para comer. Conduzi com a dúvida a assolar-me. Estaria a fazer as coisas bem? Estaria a abrir uma guerra? Estaria a perdê-lo para ela? Por várias vezes pensei voltar atrás e fazer as coisas de outra maneira, mas sempre que me lembrava de ver escolhê-la em vez de nós, a sua família, perdia qualquer tipo de dúvida.
Cheguei um pouco antes da hora, mas mesmo assim a Sharen já me esperava.

- Boa noite – saudei-a, cumprimentando-a com dois beijos.

- Boa noite, Adriana.

- Desculpe o atraso.

- Sabes bem que não estás atrasada. Senta-te – fiz o que ela pediu – Como está o Thiago? – perguntou, olhando o carrinho.

- Está muito bem. Obrigada. Adormeceu em casa. Tão cedo não deve acordar.

- Ainda bem que está tudo bem com ele. Mas disseste que já tinhas a minha resposta…

- Sim, já – disse, respirando fundo.

- Tens a certeza? Parecias tão insegura quando te fiz a proposta e de repente já tens a tua resposta…

- Sharen, é uma oportunidade única. E, sinceramente, não há ninguém neste mundo que valha mais que ela. Não há ninguém que mereça que eu abdique deste sonho por…capricho. Eu aceito a sua proposta.

- Adriana, desculpa estar-te a dizer isto desta forma, mas…parece que não estás a tomar a decisão em consciência. Parece que estás a…tomar uma decisão a quente, como…que em tom de resposta a alguma coisa.

- Sharen, eu tenho um marido que de repente se lembrou que não gosta que eu seja modelo, um marido que me deixa para ir jantar com a ex-namorada, um marido que não merece ter poder de opinião na minha decisão! Estou aqui a perseguir o meu sonho, a minha felicidade. Eu quero ser modelo e a Sharen está a oferecer-me o topo. Como poderia rejeitar?!

- Então, é mesmo esta a tua decisão?

- Sem dúvida alguma.

- Então… Bem-vinda à Victoria’s Secret.

Sorri-lhe. Começava uma nova fase. Começava a concretização de um sonho.

- Bem, eu não tenho aqui o contrato. Ficou na minha suite. Confesso que esperava que com tanta precipitação, fosses rejeitar a proposta. Mas podemos encontrar-nos novamente amanhã ou senão podes mesmo vir comigo até ao hotel e tratamos disso – propôs.

- Por mim, quanto mais rápido me tornar membro da Victoria’s Secret melhor – admiti.

- Então, vamos?

- Claro.

- Estou hospedada no El Palace Barcelona – gelei ao ouvir aquele nome – Conheces?

- Sim, sim – gaguejei.

- Estás bem? – perguntou preocupada.

- Claro. Claro. Claro que sim – despertei das recordações.

- Então, vamos lá.

A Sharen levantou-se e foi comprar uma água, já que ainda não tínhamos consumido nada. Segui para o meu carro com o Thiago e a Sharen para o dela.
Assim que a vi arrancar, suspirei e recostei-me ao banco, deixando cair as lágrimas. Tinha tomado uma decisão e no segundo a seguir o destino relembrava-me momentos com o Alexis. Não era justo. Não era.
Respirei fundo. Não ia quebrar agora. Recompus-me e segui para o El Palace.
As recordações consumiam-me a cada metro e quando vi a fachada do hotel, senti-me fraquejar. Pensei em desistir. Desistir da Victoria’s Secret, desistir da moda, desistir de tudo, para ficar com o Alexis. Eu estava a perdê-lo. A cada opção que fazia perdia-o. Perdia-o para ela…
Se calhar é mesmo melhor irmos festejar noutro lugar. Depois falamos
Mas aquela frase que me assombrava relembrava-me que ele me tinha trocado. E a culpa não era minha. Não era! Ele não podia pedir-me para abdicar da moda, tal como eu nunca poderia pedir-lhe para abdicar do futebol. Tínhamos um compromisso: ser fiel, amar e respeitar, na alegria e na tristeza, na saúde e na doença, todos os dias da nossa vida. Pura e simplesmente, tínhamos prometido amar-nos. Porque o amor é respeito. O amor é fidelidade. O amor é carinho. O amor é apoio. O amor é cedência. O amor é felicidade. O amor é loucura. O amor é insanidade. O amor é perfeição. O amor é paixão. O amor é desejo. O amor é força. O amor é segurança. O amor é pureza. O amor é ingenuidade. O amor é confiança. O amor é construir. O amor é completar e ser completado. O amor é compreensão. O amor é tolerância. O amor é tudo. E é eterno. Não importa o que aconteça, amor é eterno, é incondicional. É para sempre.
Estaria o nosso amor a falhar? Estaria eu a falhar?
Afastei todos aqueles pensamentos. Tinha de manter a cabeça fria. Estava ali para assinar um contrato, para realizar um sonho. Saí do carro, peguei na babycoque com o Thiago e respirei fundo antes de entrar naquele hotel, portador de tantas recordações.

- Sejam bem-vindos ao El Palace Barcelona – disse-me a rececionista assim que me aproximei do balcão com o Thiago ainda a dormir serenamente.

Aquela frase transportou-me para momentos vividos há quase dois meses…


Recordação

A ideia de deixar o Thiago por 24 horas não me deixava confortável. Claro que confiava na Ana e no Cesc para tomar conta dele, mas… não consigo imaginar-me longe do meu campeão por tanto tempo! Mas por outro lado, eu e o Alexis já estávamos a precisar de umas horas para nós e apenas para nós.

- Sejam bem-vindos ao El Palace Hotel Barcelona – saudou-nos sorridente a rececionista, assim que nos aproximámos do balcão.

- Muito obrigada – agradeci, ainda assoberbada com a imponência do hall de entrada do hotel – Nós temos uma reserva em nome de… Não sei em que nome ela fez a reserva – disse ao Alexis.

- Tem alguma coisa em Alexis Sánchez? – perguntou o Alexis.

- Adriana e Alexis Sánchez? – perguntou a rececionista.

- Sim, creio que sim – respondeu-lhe com aquele sorriso que nunca lhe foge do rosto.

- Ana Soler indicou-nos que estariam hospedados por 24 horas e encarregou-se de escolher um programa. É este aqui – a rececionista esticou-me um folheto que agarrei – Espero que tenham umas excelentes 24 horas. Aqui está a chave da vossa suite – desejou, dando-nos a chave do nosso “ninho” nas próximas 24 horas.

- Muito obrigada – agradecemos.


***


- Desculpe, a senhora está bem? – a voz da rececionista despertou-me.

- Hum…sim, sim. Eu… - disse ainda perturbada – Eu venho falar com Sharen Turney.

- Adriana Sánchez, certo?

Sánchez… Hoje até o meu apelido me causava estranheza…

- Desculpe… - a rececionista tornou a interromper os meus pensamentos.

- Sim, sim, Adriana…Sánchez.

- A Sra. Turney já a espera na sua suite. O meu colega acompanha-a.

- Muito obrigada.

Um empregado aproximou-se de mim e ofereceu-se para levar a babycoque do Thiago, o que permiti. Percorrer aqueles corredores consumia-me em pensamentos, em recordações. Até que finalmente chegámos à suite, à suite da Sharen, à mesma suite que tinha sido minha e do Alexis por 24 horas.
O empregado bateu à porta e anunciou-me. Pousou a babycoque na sala e retirou-se. Saudei a Sharen com dois beijos no rosto, quando sentia todas as minhas lembranças a desabar sobre mim.
- Adriana, estás bem? – perguntou-me a Sharen, olhando-me com preocupação.

- Sim. Eu estou só…um bocado…um bocado indisposta.

- Então é melhor ires à casa de banho e passares a cara por água – aconselhou-me.

Ela indicou-me o caminho que eu ainda não tinha esquecido. Entrei no quarto e fechei a porta de imediato. Sentia que aquele lugar me sugava a coragem, o discernimento, as forças…


Recordação

- Uau…- o Alexis expressou a sua surpresa assim que entramos na suite.

- Estou sem palavras – confessei abismada.

O Alexis pousou as malas, deu-me a mão e começámos a explorar a suite.

- Bem, chegamos ao paraíso – comentei quando estávamos já no quarto – Já reparaste em cada detalhe? Só o trabalhão que deve ter dado deixar esta cama impecavelmente feita…

O Alexis aproximou-se de mim e envolveu-me a cintura com os seus braços, levando os seus lábios a um dos meus ombros. Era impossível não me arrepiar…

- Sabes quando olho para esta cama – sussurrou-me ao ouvido – dá-me uma vontade tremenda de desfazê-la…

Ele voltou-me para ele, beijando-me intensamente. Um beijo que rapidamente tomou proporções maiores. Em segundos, sentia já as mãos do Alexis percorrer o meu corpo enquanto os seus lábios perdiam-se pelo meu pescoço.
A cada segundo perdia cada vez mais a coragem de acabar com aquele momento. Mas mesmo assim acabei por me controlar, já que estava a morrer de curiosidade por explorar o resto da suite, prometendo-lhe que o compensava pelo que havíamos deixado a meio.

***


Suspirei. Aquelas recordações queimavam-me a consciência. Aquela cama... Tínhamos dormido ali, tínhamos feito amor ali…Entrei para a casa de banho, mas também ali tinha vivido intensos momentos com ele… Tudo aquilo me perseguia. Saí da casa de banho assim que me refresquei e me senti mais calma.
Voltei para a sala, onde encontrei a Sharen sentada no sofá, lendo aquilo que presumi ser o meu contrato, enquanto ia olhando o Thiago várias vezes.

- Estás melhor, querida? – perguntou-me assim que me aproximei dela.
- Sim, Sharen, estou melhor. Obrigada pela preocupação.

- Senta-te – convidou-me e assim que o fiz, esticou-me o que estivera a ler – É o teu contrato. Vou-te dar alguns minutos para lê-lo com atenção. Está à vontade. Enquanto lês vou ver se há novidades de Nova Iorque.

- Obrigada – forcei um sorriso.

A Sharen sentou-se a uma mesa em frente ao computador, enquanto eu me esforcei para ler o contrato. Passava tudo pela minha cabeça, exceto o que lia. Respirei fundo e concentrei-me. Tal como a Sharen me havia descrito… Um contrato de sonho. Nem teria de deixar Barcelona, já que me estavam a dar o privilégio de fotografar cá e apenas ter de me deslocar a Nova Iorque para desfiles e cerimónias. A lista de regalias era enorme. Não podia de forma alguma recusar isto…
Nesse momento, olhei para a grande janela da suite que deixava o luar invadir a sala…


Recordação

- Para quietinho, Alexis – resmunguei, virando-me para o outro lado.

- Amor, acorda – ele insistiu e beijou-me no pescoço.

- Alexis, é muito cedo. Estou cheia de sono! O sol ainda nem nasceu. Amor, podemos fazer isso depois.

- Não podemos não!

- Alexis, amor, eu compenso-te. Agora não me apetece…

- Não é nada disso.

- Não? – perguntei surpreendida.

- Não. Anda. – ele pegou na mão, envolvi o meu corpo no lençol e seguimos até à varanda.

- Estamos aqui a fazer o quê? – perguntei aborrecida, já que os meus planos passavam por estar a dormir serenamente naquela enorme cama…

- Viemos ver o nascer do sol. O meu avô dizia-me que todos os anos devíamos fazê-lo pelo menos uma vez com alguém especial. E este ano é contigo.

Foi impossível não sorrir com aquelas palavras. Beijei-o e antes que lhe pudesse dizer alguma coisa, ele apontou o horizonte. Os primeiros raios de sol começavam a surgir…

- Isto é lindo, Alexis. Obrigada – sorri-lhe ainda encantada com aquele espetáculo da Natureza.

- Gostaste? – perguntou após beijar-me na nuca.

- É lindo. Com uma pessoa especial? – interroguei, passando a mão pelo seu rosto.

- Com a mais especial – roçou o seu nariz no meu – Agora vamos voltar para a caminha!


***


- Adriana – a voz da Sharen despertou-me, trazendo-me à realidade.

- Desculpe, Sharen. Precisa de alguma coisa?

- Queria saber se já leste o contrato.

- Sim, já, já.

- E então?


(Alexis)

A imaturidade e indelicadeza da Adriana tinham-me desiludido. Como é que ela podia ser tão fria, tão cruel? A Blanca perdeu o pai, está sozinha em Barcelona. Somos os únicos que ela tem!
Optei por deixá-la e seguir com a Blanca para um restaurante. A Blanca merecia um momento de felicidade, era o aniversário dela. E a Adriana…Talvez esta minha decisão a “abanasse” e fizesse ver como está errada.
Jantei com a Blanca num restaurante com vista para uma praia. Uma praia onde eu e a Di já tínhamos estado, uma praia onde já tínhamos feito amor. Nesse tempo, tudo era mais fácil. Agora ela parece ter mudado. A antiga Di nunca teria tido aquela atitude perante a Blanca, estando ela tão frágil e desamparada. A Blanca tinha razão: esta coisa do mundo da moda está a mudá-la. Tento afastá-la das objetivas, restringi-la ao seu projeto de lançar uma marca própria, mas ela insiste em ser modelo, insiste em destruir a nossa família.

- Estás a pensar nela? – perguntou-me a Blanca ao ver-me distraído.

- Sim – admiti.

- Não tem importância o que aconteceu em tua casa.

- Blanca, não a defendas! A forma como ela te tratou foi horrível!

- Alexis, ela está só um pouco…perdida.

- Tinhas razão. A moda só lhe faz mal!

- Esquece isso agora. Aproveita este bocado para não pensares muito nisso.

- Obrigado, Blanca – agarrei a mão dela – Tens sido tão compreensiva para com tudo isto...

***


Fui deixar a Blanca a casa após de forma simbólica termos comido um gelado na cidade para celebrar o seu aniversário. Cheguei a casa e não encontrei a Adriana. Procurei-a por todas as divisões e nem ela nem o Thiago estavam. Não havia bilhetes, avisos, nada… Liguei-lhe mas de imediato ouvi o seu telemóvel tocar dentro da bolsa que estava sobre o sofá. Onde se teria metido?! Esperei, esperei, esperei mas acabei por adormecer…



(Adriana)


- Queria saber se já leste o contrato.

- Sim, já, já.

- E então?

Apelei a toda a minha racionalidade e respondi segura de mim:

- Tem uma caneta? – perguntei com um sorriso.

Ela esticou-me uma caneta de prata e eu firmemente assinei o contrato.

- Bem-vinda à Victoria's Secret – disse, apertando-me a mão com um enorme sorriso.

- Muito obrigada.

- Vou pedir um champanhe para brindarmos!

A Sharen afastou-se para ir pedir o champanhe e eu olhei atentamente o Thiago. Estaria a destruir a nossa família? A condená-la ao fracasso?
A Sharen voltou com o champanhe e assim que brindamos a esta nova fase, voltei para casa com o Thiago. Apercebi-me que o Alexis já tinha chegado a casa, já que o casaco dele estava pendurado no cabide. Fui ao quarto do Thiago e deitei-o no seu berço. Ainda não lhe tinha vestido o pijama, mas não o iria fazer agora senão acordá-lo-ia e ele parecia exausto de estar deitado na babycoque.
Decidi não ir para o meu quarto. Não tinha disposição para deitar-me ao pé do Alexis. Não sabia o que sentia, nem o que seria suposto sentir. Deitei-me no sofá do quarto do Thiago e acabei por adormecer…


***


(Alexis)

Acordei e não vi a Adriana ao meu lado. Não havia sequer sinais dela, o que me deixou preocupado. Levantei-me e assim que vi a babycoque do Thiago na sala, fiquei mais aliviado. Fui ao quarto dele e encontrei-o a dormir tranquilamente no berço com a Adriana a seu lado. Estava deitada num sofá, descoberta, torta. Não me atrevi a aproximar-me.


(Adriana)

As dores acordaram-me. O sofá não era tão confortável como eu havia previsto. Assim que abri os olhos, vi o Alexis. Estava junto à porta, observando-me. Levantei-me de imediato e saímos do quarto. Acho que ambos prevíamos uma conversa pouco agradável e não queríamos perturbar o Thiago.

- Ontem cheguei e não te encontrei. Fiquei preocupado – disse-me – Onde estiveste?

- Estive a assinar um contrato de trabalho – olhei-o segura de mim mesmo que naquele momento as pernas me tremessem e as forças me fugissem – Agora sou modelo da Victoria’s Secret.



Como terminará esta conversa?

O que trará esta nova fase da carreira de Adriana a este casamento?

Como terá corrido o resto do fim-de-semana em Paris para Ana e Cesc?



Olá!

Eu sei que demorou muito a chegar e peço imensas desculpas! Espero que tenham gostado e que deixem os vossos comentários ou pelo menos as vossas reações!


Queria dedicar este capítulo à minha aniversariante, Ana Patrícia! Un beso, guapa!!!



Y un beso para vosotras también xD

Ana Santos