Páginas

domingo, 23 de março de 2014

152 - "Já não sei se isso é gravidez ou menopausa…"




Cesc não resistiu a gargalhar assim que viu o que Ana lhe mostrara.

- Bem, fãs com imaginação não nos faltam.


- Agora é tempo para a mamã, Lia!
- Mas...

- Acho que a Anto anda à tua procura!
- Ok

- Onde está a Lia?
- Aqui não!

- Ahahahah quem é a menina do papá?




- Nem paparazzi a capturar cada movimento nosso – acrescentou Ana num tom irónico.

- Sim, não é propriamente a coisa mais agradável do mundo – concordou Cesc, pondo-lhe alguns fios de cabelo atrás da orelha – Mas habituamo-nos, não?

- Sinceramente, quero que eles se lixem – disse descontraidamente – Somos muito felizes e daí? Isso não é crime. No máximo cria inveja.

- Inveja? – perguntou tentando “escavar” mais no raciocínio de Ana.

- Digamos que tens algumas fãs ressabiadas – Cesc não resistiu a rir de como Ana havia descrito algumas fãs mais…efusivas que tinha – Vais dizer que não é verdade?

- Elas são apenas um pouco…possessivas!

- Oh sim, elas são as fãs, eu sou a esposa, quem tem direito a ser possessiva afinal?

- Eu não sei quem tem o direito de ser possessiva, mas sei que és tu que me tens na tua posse!

- Essa teve classe – gabou Ana.

- Teve, não teve? – insinuou-se Cesc, avançando sobre ela.

Acabou por deitar-se sobre ela na espreguiçadeira e unir os seus lábios ousadamente.

- Ei um bocadinho de respeito, estão aqui crianças! – picou Antonella.

- Foi só um beijinho – desvalorizou Cesc, fingindo-se inocente.

- Sim, aposto que vais adorar ver a tua filha daqui a uns anos a dar “só um beijinho” – provocou Antonella.

- Pronto, a conversa já descambou! – disse um pouco irritado, saindo de cima de Ana.

Antonella e Ana não resistiram a gargalhar. Lia ainda só tinha uns meses e já tinha um pai demasiado protetor, nem conseguiam imaginar como seria dali a alguns anos.



***



- Benvenuti a…
- Em espanhol, se faz favor – pediu Adriana secamente, levando Alexis e Graziela a sorrir.

Tinham partido há cerca de meia hora de Sardenha no jato privado. Graziela acompanhava-os, por vontade de Alexis, já que Adriana estava em completa ignorância quanto ao destino que os esperava, o que a deixava ligeiramente parecida com uma criança quando fazia uma birra.

- Bienvenida a Roma.

- Roma? – perguntou surpreendida apressando-se a espreitar pela janela.

- Como disseste que nunca tinhas visitado Itália pensei que já que estávamos por perto podíamos fazer uma visitinha.

- E porque não me disseste logo? – reclamou ainda um pouco amuada.

- Porque achei que era uma boa maneira de treinares a tua paciência, afinal é algo que temos de ensinar aos nossos filhos, não?

- Não é para isso que cá estás? – brincou, levando Alexis a beijá-la carinhosamente no rosto.

A aterragem estava para breve, por isso, Adriana pegou em Thiago que gatinhava animadamente pelo jato e pôs-lhe o cinto de segurança. Em minutos, haviam aterrado.
Para não variar, já havia um carro à espera deles. Adriana pensava como seria possível nunca ter reparado como ele conseguia ser tão organizado e meticuloso.
Alexis pôs toda a (imensa) bagagem no carro e arrancou em direção ao destino deles. Desta vez, ficariam hospedados num hotel.
Numa hora tinham deixado Sardenha e chegado a Roma de forma incrivelmente cómoda. Adriana tinha de admitir que a ideia de alugar um jato privado para aquelas férias não tinha sido de todo má, principalmente tendo em conta que Thiago e ela, como grávida, estavam muito mais confortáveis, evitavam horas na estrada ou horas no aeroporto. Sim, Alexis estava certo.
Subiram os três para a sua suite, enquanto Graziela seguiu para o quarto dela.

- A Graziela não se importou de vir? – perguntou Adriana enquanto abria a mala para procurar um chapéu para Thiago.

- Não. Para além de ter família por cá e ter a oportunidade de os visitar, vou pagar-lhe melhor do que se tivéssemos ficado em Sardenha.

- Tenho de admitir que foi uma ótima ideia. Tudo foi uma ótima ideia – acabou por confessar, levando Alexis a sorrir vitoriosamente – Não sorrias assim!

- Porque não?

- Porque me lembro que estava totalmente errada e quando estou grávida odeio não ter a razão!

- Só quando estás grávida, claro – picou Alexis aproximando-se dela e colocando os braços à volta da cintura dela.

- Não abuses – avisou Adriana, antes de Alexis lhe roubar um beijo, que só terminou assim que Thiago já tinha gatinhado até eles e amarrado as suas pernas.

- O teu filho é ciumento… - constatou Alexis.

- Sai ao pai! – provocou Adriana, desprendendo-se dos braços de Alexis e pegando em Thiago.

- Sou apenas protetor! – argumentou.

- Hum hum e planos para hoje?

- Para hoje? Bem, são 11 horas, portanto acho que podíamos descer à cidade e ir almoçar. E há tarde podíamos ir ao Vaticano.

- Sim, não podemos vir a Roma e não ver o Papa! – brincou Adriana.

- E amanhã podíamos conhecer um bocadinho mais a cidade. Ir ao Coliseu, à Fontana Di Trevi, à Piazza della Republica – Adriana sabia o que ele estava a fazer. A irritá-la com o italiano.

- Vale, vale! Já percebi, cariño – disse num tom que fazia Alexis perceber bem que ela tinha percebido o jogo dela.



***



- Que te apetece comer? – perguntou Alexis, enquanto via Adriana a admirar cada detalhe da cidade, não se coibindo de tirar fotos a tudo o que mais lhe chamava a atenção.

- Visto que estamos em Itália, eu apostava numa grande pizza com bastante queijo bem derretido – Alexis não resistiu a gargalhar com a maneira como Adriana descrevia apaixonadamente a sua pizza de sonho – Qual é a piada?

- Nenhuma nenhuma… Só parece que andas a sonhar com esta pizza há dias!

- Há dias não, mas desde que aterramos sim – confessou, levando Alexis a rir – Não te rias! Quando uma grávida começa a pensar muito em alguma coisa torna-se um desejo e tu sabes que os desejos de grávida não se podem recusar!

- Até tenho medo que penses muito em mim…depois torno-me no teu desejo e um desejo de grávida não se pode recusar! – brincou.

- Sem dúvida, senão o bebé nasce com cara de Alexis – atirou como se tal fosse algo horrível.

- Que piadinha que a minha menina tem! – respondeu Alexis passando um dos seus braços à volta da cintura dela enquanto empurrava o carrinho de Thiago com a outra mão.

Pararam na pizzaria de eleição de Alexis, onde Adriana saboreou intensamente a sua pizza.



- É ótima! – admitiu Adriana.

- Já percebi que sim!

- Não me olhes assim! Quando as férias acabarem eu vou ter uma alimentação digna de grávida, eu prometo!

- Guapa, desde que te sintas bem e que não abuses ficará tudo bem.

- Sim! E agora falta a sobremesa!

Alexis esbugalhou os olhos. Sobremesa?

- Não me olhes assim! Não comi assim tanto!

- Vale vale. Que tal um gelado? Os gelados italianos são os melhores do mundo!

- Ai sim?

- Hum hum. E conheço uma gelataria fantástica. Vamos?

- Sim! – disse entusiasmada.



***


- Ai nem sei o que escolher! – confessou olhando a montra da gelataria, o que fez Alexis sorrir.




- Vai sentar-te numa mesa com o Thiago que eu trato do teu gelado!

Adriana não hesitou e aceitou a proposta de Alexis. Sabia que ele a conhecia bem e que acertaria no gelado perfeito.
Minutos depois, Alexis viu os olhos azuis de Adriana brilhar ao verem o gelado que ele lhe trouxera.



Adriana saboreou-o intensamente e depois dedicaram o dia a visitar o Vaticano, tal como Alexis planeara.





Já o dia seguinte foi passado a dois passeando por alguns dos lugares mais míticos e românticos de Roma, onde o lendário Coliseu de Roma se destacava.





Assim que chegaram ao hotel, perderam-se a matar as saudades que haviam tido de Thiago. Apesar de ser bom terem um dia para eles, Thiago fazia-lhes sempre falta.
Já durante a noite, Adriana andava irrequieta na cama, impedindo Alexis de adormecer. Mexia-se, mudava os lençóis constantemente de posição…
- Que pasa? – perguntou ensonado.

- Passa-se que estou cheia de calor, por favor, chega-te um bocadinho para aí! – pediu.

- Já não sei se isso é gravidez ou menopausa… - deixou escapar Alexis afastando-se dela.

- Tu goza! Não te esqueças que quando for menopausa vais ter de me aturar e eu vou lembrar-me dessa boca! – garantiu.

Alexis não resistiu a sorrir. Sim, dali a 30 anos estariam juntos a viver crises de meia idade…

- Estás-te a rir de quê?

- De nada, cariño. Anda cá…

- Disse-te há dois minutos que estou cheia de calor!

Alexis pegou nos lençóis e mandou-os para bem longe. Depois abriu os braços convidando Adriana a deitar-se sobre o seu peito, o que ela acabou por fazer.
Foi passando os dedos dele pelo seu cabelo, enquanto sentia Adriana fazer o mesmo no peito dele.

- O meu agente ligou-me – contou – Recebi outra proposta.

Adriana havia recebido várias propostas e gravidez não afetava minimamente a sua imagem. Pelo contrário! Tinha já assinado um contrato com a Mango, uma famosa marca de roupa, para ser a imagem da marca depois de ser mãe.

- E é uma proposta para quê?

- Para ser a imagem de marca da Swarovski!

- Devia saber o que é isso?

- É a marca de joias mais luxuosa do mundo.

- Uau… Vais aceitar?

- Sim. é uma ótima proposta e é apenas um anúncio e umas fotos. E só depois da gravidez.

- Anda tudo louco com a gravidez, não é? – comentou Alexis, referindo-se a tudo o que se havia já escrito desde que ele havia subtilmente anunciado a gravidez de Adriana.

- É verdade. Às vezes penso que somos uma bênção na vida dos jornalistas…

- Tu és é uma bênção na minha vida!

- Como consegues ser tão piroso e tão fofinho ao mesmo tempo?

-Piroso? – perguntou fingindo-se ofendido.

- Sim, um bocadinho… Vá, mais fofinho do que piroso!

- Hum, assim parece-me melhor. Cariño – chamou alguns instantes depois – Tenho uma coisinha a contar-te.

- O que é que se passou? – perguntou quase assustada.

- Calma, não é nada de mal. Só que…não vamos ficar por Roma…

- Alexis…

- Calma, calma! Eu vou dizer-te o que planeei! Dois dias em Milão, um em Verona e dois em Veneza.

- Vamos ver tudo isso? – perguntou entusiasmada.

- Hum hum. Parece-te bem?

- Muito bem!


***


Os planos de Alexis foram seguidos à risca. Dois dias em Milão foram o paraíso para Adriana. afinal, Milão era capital da moda. Não foram raras as vezes em que Alexis ficou a brincar com Thiago pela rua enquanto Adriana entrava nas lojas e se perdia por completo.
O dia em Verona foi completamente dedicado a eles. Afinal estavam na mítica cidade do amor, que havia acolhido o amor mais intenso de sempre, a história mais trágica… Romeu e Julieta. Como qualquer casal bem apaixonado, deixaram a sua marca no muro dos namorados.



E depois Veneza…Veneza foi o paraíso! Adriana estava completamente rendida! Era uma cidade bonita demais para apenas terem dois dias ali!









As férias tinham sido absolutamente espetaculares e eles não se tinham coibido de partilhar alguns momentos nas redes sociais, o que facilmente virava notícia.








Apesar daquelas semanas terem sido um autêntico sonho, era tempo de voltar à realidade. E sem gelados... Adriana ia sem dúvida sentir falta dos gelados italianos e tinha perdido a conta aos diferentes tipos de gelado tinha comido!






Alexis voltou aos treinos e estágios e Adriana preparou-se para um novo desafio…Integrar Thiago num infantário.
Após muita discussão, acabaram por concordar que estava na altura de Thiago sair do ninho e conhecer sítios novos onde pudesse contactar com outras crianças. Adriana passou várias manhãs com ele na creche, tentando que ele se adaptasse. Estava mais tímido do que nunca, o que só deixava Adriana mais insegura. E quando tinha de o deixar, simplesmente partia-lhe o coração vê-lo a chorar e esticar os braços na sua direção.
Com o passar dos dias, Thiago foi-se a pouco e pouco adaptando, o que a foi tranquilizando. Para além disso, aprendera a andar, o que deixava Alexis literalmente inchado de orgulho!


***


Ibiza tinha sido incrivelmente regenerador para Ana e Cesc, que tinham definitivamente vencido os probleminhas que os haviam afetado. Os dias eram quase repetitivos, o que era estranhamente bom. Afinal Ibiza era um autêntico paraíso para os amantes de sol e praia! Para além disso, com Lia por perto cada dia tinha algo de diferente.
Mas o regresso a Barcelona acabou por chegar, bem como o regresso ao trabalho. Cesc voltou à rotina futebolística e Ana empenhou-se nos trabalhos de pré-época como fotógrafa do clube. Havia várias campanhas para fazer e as horas de trabalho multiplicavam-se. Lia acompanhava-a para todo o lado, simplesmente Ana ainda não estava preparada para a deixar entregue aos cuidados de outra pessoa…



***


Era domingo à noite e Adriana aproveitava os mimos de Alexis no sofá, mas sentia-se cansada, desconfortável.

- Acho que vou deitar-me – disse levantando-se – Ficas?

- Sim, mas mais um bocadinho e também vou.

- Vale, buenas noches – desejou beijando-o carinhosamente.

Seguiu até à casa de banho e quando estava prestes a ir deitar-se, sentiu uma dor que já não sentia há vários meses… Dores menstruais. O medo dominou-a e assim que se apercebeu de que estava a sangrar, o pânico deixou-a quase atrofiada.

- Alexis…- murmurou quase sem forças para o chamar – Alexis – acabou por gritar instantes depois, com a adrenalina a finalmente correr-lhe pelas veias e a fazê-la reagir.

- Que pas… - Alexis estagnara ao ver Adriana.

Estava lívida, agarrada à sua barriga de 18 semanas…e com algumas gotas de sangue debaixo de si.
Por segundos, Alexis simplesmente não teve reação. O medo paralisara-o: não conseguia pensar, não conseguia agir…
Instantes depois, o seu corpo reagiu finalmente. Pegou em Adriana ao colo e encaminhou-os para a garagem. Colocou-a nos bancos de trás do carro e seguiu para o lugar do condutor. Arrancou e pôs o telemóvel a chamar. Alguns segundos depois, Ana atendeu.

- Ana, a Adriana não está bem, estamos a caminho do hospital. Podes ir para nossa casa tomar conta do Thiago? – pediu, atropelando as suas próprias palavras, enquanto o seu pé carregava cada vez mais no acelerador.

- A Adriana sentiu-se mal? O que aconteceu?

- Ana, por favor, vai ter com o Thiago – tornou a pedir de olhos presos na estrada.

- Vale, vale. Tem cuidado na estrada.

Ana desligou e Alexis focou-se por completo na estrada. Com um bocadinho de mais velocidade chegariam ao hospital em minutos. Todo o seu corpo tremia completamente sufocado pelo medo.
Adriana sentia as lágrimas a aumentarem juntamente com as suas dores. Estava num pânico indescritível e não conseguia deixar de se agarrar à sua barriga. Fazia algo pouco habitual…rezava. Murmurava vezes sem conta a mesma oração. Simplesmente aquilo dava-lhe esperança, dava-lhe um certo conforto, como se não estivesse sozinha.
Assim que chegaram ao hospital, Alexis apressou-se a pegá-la novamente ao colo. Assim que entrou nas urgências, o seu desespero chamou a atenção de vários médicos que rapidamente tomaram conta de Adriana.


***


- A Adriana sentiu-se mal, o Alexis foi com ela ao hospital – disse Ana assim que desligou o telemóvel.

- Sentiu-se mal? Como assim? – perguntou Cesc.

- Não sei, Cesc, não sei. Mas ele estava muito aflito. É algo grave – disse visivelmente angustiada.

- Tem calma – Cesc abraçou-a – Vais ver que não passa de um susto.

- Espero bem que sim. Eu vou buscar o Thiago – disse levantando-se.

- O Thiago?

- Sim, eles deixaram-no em casa. O Alexis pediu-me para o ir buscar – explicou.

Ana saiu, pegando nas chaves de casa de Alexis e Adriana. Thiago dormia calmamente no seu berço. Ana pegou nele cuidadosamente e levou-o para casa. Deitou-o na sua cama, onde Lia havia também adormecido.

- Podias ir ao hospital – sugeriu Ana – O Alexis deve estar a precisar de apoio.

- Sim, tens razão. Ficas bem com eles?

- Sim, vai lá.

Cesc vestiu um casaco, pegou nas chaves e despediu-se de Ana com um beijo.

- Depois dá-me novidades!

- Vale, cariño.


***


- Já há novidades?

- Não – respondeu Alexis visivelmente angustiado – Já entrou para observação há mais de meia hora e até agora nada! – disse completamente desesperado.

Alexis percorria a sala de espera freneticamente, mostrando bem o seu nervosismo. Alguns minutos depois viu Sofía, a obstetra de Adriana, entrar, o que o deixou ainda mais atormentado.

- Sofía, aconteceu algo de grave? – perguntou seguindo-a.

- Não sei, Alexis, vou observá-la agora.

- Mas…

- Fica aí, Alexis! – ordenou claramente nervosa.


***


Tinham passado mais de três horas, quando Sofía apareceu na sala de espera.

- Como é que eles estão? – perguntou de imediato Alexis.



Que novidades trará Sofía?


Olá!

Sim, não postava há muitooooo tempo. Mas tinha a porcaria de um grande trabalho em mãos e tive de me concentrar. E sim, o cap é pequenino! Eu sei, eu sei! Tinha planeado algo maior, mas…estava a faltar-me uma boa dose de inspiração e portanto preferi dar-vos isto e compensar-vos no próximo! Não queria ficar mais tempo sem vos dar nada!

Este cap é dedicado à Rita Martins que fez aninhos há alguns (bons) dias. Rita, como prometido cá está o teu presentinho ;)

Gracias por a todas por continuarem aí!



Besazo